Bem vindo ao nosso

Blog

Inscreva-se e receba nossos conteúdos!

Bisfenol-A (Xenoestrógenos)

11/09/2014
Bisfenol-A (Xenoestrógenos)

Nossa alimentação é um dos caminhos mais inconsciente quanto à contaminação por mimetizadores hormonais. O alimento processado, na maioria das vezes com excesso de açúcares e gorduras hidrogenadas, enfraquece o sistema imunológico e atinge, hoje, 80% de nosso suprimento alimentar, assim como a água. Embalagens, conservantes, colorantes e flavorizantes artificiais, podem ser todos perigosos.

 

Envases plásticos, copos de poliestireno (PS), filmes para embalar alimentos ou revestimento plástico interno de latas, podem conter PVC’s, alquifenóis, nonilfenóis, bisfenol-A e ftalatos. Todos são conhecidos como xenoestrogênios. Tal expressão é aplicada livremente a uma série de substâncias químicas tóxicas produzidas pelo homem que confundem os receptores celulares de estrogênios no organismo, interferindo nas mensagens bioquímicas naturais.

 

Atualmente o bisfenol – A é um perigo oculto. Utilizado na fabricação do plásticos presentes em mamaderias, garrafas de plástico, eletrodomésticos dentre outros, este composto apresenta diversos prejuízos para a saúde humana. Pequisas profundas revelam uma situação alarmante gerada pela dispersão destes xenostrogênios.

Os xenostrogênios migram para o alimento quando são aquecidos por longos períodos.

 

É comum encontrar caminhões transportando galões envasados através do País, sem qualquer higiene ou preocupação com incidência da luz solar. Desta forma, tem-se a migração deste composto para a água do galão.

 

Alterando as funções principais dos estrogênios e androgênios, podem desencadear uma torrente de excepcionalidades na saúde da reprodução e do desenvolvimento.

Além das alterações no comportamento sexual, depressão imunológica, deformidades genitais, cânceres de mama, ovários, útero, de próstata e testicular além de desordens neurológicas e na tireóide.

Alterações comportamentais, tais como hiperatividade, aumento de agressividade e déficit de atenção.

As consequências potenciais desta superexposição aparecerão especialmente sobre as futuras gerações. Os embriões e os fetos cujo crescimento e desenvolvimento são altamente controlados pelo sistema endócrino recebem as contaminantes na fase pré-natal ainda no útero.

Mesmo que adultos expostos não apresentem nenhum efeito deletério, seus descendentes poderão apresentar, em toda sua vida, anormalidades reprodutivas ou em sua saúde.

 

Fonte:

CONNECTIONS – Extra

WOMEN’S NETWORK ON HEALTH & ENVIRONMENT

Issue 14 – supplement ACTION FOR PREVENTION Fall 1999

O ESTROGÊNIO ATRAVÉS DO CICLO DA VIDA

Função e disfunção endócrinas

Charlene Day e Miriam Hawkins

 

Agora que você já conheceu o poder prejudicial do Bisfenol-A, conheça aqui, soluções para ingerir uma água livre deste mal e com diversas propriedades benéficas ao organismo, bem como alcalina, ionizada, rica em magnésio, antioxidante e livre de microrganismos.

Artigos relacionados